Obrigado por contribuir para melhorar o Fórum D!

Deixe a sua sugestão

MAIS SOBRE VITAMINA D

IMPRENSA

A importância da Vitamina D (com video)


O reumatologista e um dos promotores do Fórum D, Dr. Pereira da Silva, esteve na Edição da Manhã para falar da importância da vitamina D, quando se sabe que apesar de vivermos num país onde o sol brilha grande parte do ano, muitos portugueses apresentam défice desta vitamina.

As 4 vitaminas recomendadas por um cardiologista (em inglês)


O mundo das vitaminas e suplementos é confuso. Todas apresentam os seus benefícios para a saúde, mas se tudo fosse verdade iria acabar por tomar centenas de suplementos por dia. Como saber quais é que vale a pena ter atenção? Fique a saber!

Vitamina D aumenta esperança de vida


Estudo norte-americano relaciona níveis demasiado baixos de vitamina D com o desenvolvimento de certas doenças, como as do foro cardíaco, diabetes e hipertensão.

VIDEOS

O Popular Dr. Oz aponta as Vantagens da Vitamina D


O Dr. Oz também conhecido da televisão Portuguesa refere os niveis preocupantes de carência de Vitamina D nos Estados Unidos da América e as vantagens que esta pode trazer.

A Verdadeira História da Vitamina D


Uma reportagem da CBN News sobre os efeitos da Vitamina D e os efeitos benéficos que demonstra ter contras as infecções virais entre outros.

A Vitamina D na Prevenção do Cancro


O Dr. Meschino um dos pioneiros na criação de vídeos educativos sobre medicina na Internet fala sobre a Vitamina D e a sua importância na prevenção do cancro.

Uma extensa compilação de artigos sobre Vitamina D, com link para pubmed ou fontes semelhantes.

Aceda à base científica
Toxicidade de Vitamina D

Pode a vitamina D em excesso ser prejudicial? Sim, com certeza que pode - tudo o que for em excesso pode ser prejudicial, até a água. Contudo, a Vitamina D é uma das substâncias mais seguras conhecidas até à data - a sua toxicidade é muito rara e exige doses muito elevadas de forma muito prolongada

Em que consiste a toxicidade da vitamina D?

A toxicidade de vitamina D pode observar-se quando as concentrações no sangue são tão elevadas que começam a provocar efeitos sistémicos adversos.

Como pode acontecer?

O corpo humano tem um sistema interno contra a toxicidade de vitamina D produzida na pele. O organismo só activa a quantidade de Vitamina D que precisa. Por isso, não existe qualquer risco de intoxicação pela exposição solar, seja pelo sol ou por uma mesa de bronzeamento. Contudo, a suplementação de vitamina D por via oral foge a esse controlo: se forem consumidas quantidades excessivas dentro de um período de tempo, os níveis de 25(OH)D no sangue podem chegar a um ponto onde é possível existir toxicidade.

Doses tóxicas

A dose tóxica de Vitamina D varia de pessoa para pessoa e não está claramente definida. Os casos publicados de toxicidade são raros. Todos os que estão bem documentados, envolviam uma toma de mais 40000 UI (1000 mcg) por dia. 2 casos diferentes envolveram tomas de mais de 2,000,000 UI por dia - ambos sobreviveram. Apesar disso, os Médicos foram quase todos ensinados a temer a intoxicação por Vitamina D. Isto era baseado no pressuposto de que, sendo uma vitamina lipossolúvel, se acumularia progressivamente no corpo. Sabemos hoje que não é assim: a Vitamina D é muito bem tolerada e muito segura em doses bem maiores do que as necessárias para atingir os máximos benefícios.

Concentrações tóxicas

A Limiar de toxicidade de uma substância é a quantidade a partir da qual os sintomas de toxicidade se manifestam. Os valores para 25(OH)D são os seguintes:

  • Limite superior do normal - 100 ng/mL (250 nmol/L)
  • Limite de toxicidade - 200-250 ng/mL (500-750 nmol/L)

A larga distância entre o limite máximo normal de 25(OH)D e o seu limiar de toxidade oferece uma grande zona de segurança. Mesmo valores duplos do limite superior do normal estão ainda fora da zona de toxicidade Em animais de investigação, as concentrações sanguíneas chegaram a ser tão altas quanto 400-700 ng/mL (1,000-1750 nmol/L) antes que efeitos tóxicos (hipercalcemia grave) fossem observados.

Sintomas de toxicidade

O primeiro sinal de toxicidade de vitamina D é hapercalciúria (excesso de cálcio na urina) que não dá sintomas. Segue-se a hipercalcémia (excesso de cálcio no sangue). Nesta fase podem manifestar-se os seguintes sintomas:

  • Náuseas
  • Vómitos
  • Pouco apetite O
  • bstipação (possivelmente alternada com diarreia)
  • Cansaço
  • Perda de peso
  • Pequenas picadas na boca
  • Confusão
  • Ritmo cardíaco anormal

O que fazer na suspeita de intoxicação por Vitamina D

Lembre-se: é bastante difícil atingir níveis tóxicos de vitamina D3. Se pensa que pode estar intoxicado porque tem apresentado alguns dos sintomas acima, verifique as doses que toma: se não tem usado níveis excessivos como os descritos anteriormente, é provável que os seus sintomas se devam a outras razões que não à Vitamina D. A primeira coisa a fazer é parar a suplementação e consultar o seu médico para ajudar a determinar os níveis de 25(OH)D no seu sangue. Este é o mesmo teste usado para determinar a carência de vitamina D.

Considere outras possibilidades

Se os resultados indicarem níveis inferiores a 200-250 ng/mL (500-750 nmol/L), o mais provável é não existir toxicidade.

1. Deficiência de magnésio. Esta é a principal razão para os sintomas associados à toma de vitamina D.

2. Hipercalcémia de outra causa. A existência de níveis altos de cálcio no sangue antes de começara Vitamina D aumenta o risco de o cálcio aumentar ainda mais e surgirem os sintomas. A hipercalcemia é uma condição rara usualmente causada por um dos seguintes factores:

  • Hiperparatiroidismo primário (a causa mais comum)
  • Sarcoidose
  • Tuberculose
  • Alguns cancros

Reduza a dose, se necessário

Se os resultados mostrarem níveis de 25(OH)D da ordem de 200-250 ng/mL (500-750 nmol/L) ou mais, estará intoxicado por excesso de Vitamina D. Devem ser tomadas as seguintes medidas para que os níveis de vitamina D voltem ao normal:

  • Evitar a exposição solar.
  • Evitar alimentos e suplementos que contenham vitamina D.
  • Restringir a ingestão de cálcio.
  • Beber 8 copos de água por dia.

Assim que os níveis de 25(OH)D estejam normalizados, a exposição solar e/ou a suplementação de vitamina D podem ser continuados, corrigindo os excessos. Desde que o estado de hipercalcemia não persista por demasiado tempo, a toxicidade por vitamina D pode ser corrigida sem sequelas. A hipercalcemia persitente pode potencialmente causar a calcificação dos tecidos moles, resultando em depósitos de cristais de cálcio no coração, pulmões e/ou rins. Com hipercalcemia prolongada, são possíveis danos permanentes se a calcificação for demasiado grave.