A Vitamina D não é apenas mais uma Vitamina.

Na verdade, demonstrou ser uma aposta eficaz na prevenção de uma multiplicidade de doenças e, à medida que surgem novos estudos, tudo indica que a sua acção não termine por aqui. Confira o que foi descoberto até agora.

Na diabetes tipo 1, o sistema imunitário inibe a produção de insulina por parte do pancreas. A ausência de insulina dificulta o controlo de açúcar nos tecidos e no sangue e nisto consiste a diabetes tipo 1 (também chamada diabetes insulino-dependente).

A Diabetes tipo 2 é uma desordem metabólica. As pessoas com diabetes tipo 2 tem elevados níveis de glucose no sangue apesar de produzirem insulina: têm resistência à insulina, isto é – ela existe mas não actua normalmente.

A cirrose biliar primária provoca a irritação e inchaço dos canais biliares do fígado. O inchaço bloqueia a passagem da bílis. Esta obstrução degenera as células biliares e culmina com cicatrizações do fígado (cirrose).

A doença hepática crónica de DHC resulta da deterioração persistente do fígado. Os portadores podem apresentar uma variedade de sintomas como fraqueza, falta de apetite, sangramento fácil, inchaço das pernas ou do abdomen

As pessoas com doença celíaca não conseguem digerir o glúten, uma proteína encontrada em vários alimentos, tais como o trigo. Alguns dos efeitos incluem diarreia crónica, perda de peso, atraso de crescimento (em crianças), fadiga e anemia crónica.

As pessoas com Doença de Crohn têm frequentemente baixos níveis de vitamina D. Estes baixos níveis poderão contribuir em parte para o aparecimento da doença. No entanto, e em sentido inverso, a Doença de Crohn pode reduzir a absorção de vitamina D dos alimentos.