Obrigado por contribuir para melhorar o Fórum D!

Deixe a sua sugestão

BENEFÍCIOS DA VITAMINA D

IMPRENSA

A importância da Vitamina D (com video)


O reumatologista e um dos promotores do Fórum D, Dr. Pereira da Silva, esteve na Edição da Manhã para falar da importância da vitamina D, quando se sabe que apesar de vivermos num país onde o sol brilha grande parte do ano, muitos portugueses apresentam défice desta vitamina.

As 4 vitaminas recomendadas por um cardiologista (em inglês)


O mundo das vitaminas e suplementos é confuso. Todas apresentam os seus benefícios para a saúde, mas se tudo fosse verdade iria acabar por tomar centenas de suplementos por dia. Como saber quais é que vale a pena ter atenção? Fique a saber!

Vitamina D aumenta esperança de vida


Estudo norte-americano relaciona níveis demasiado baixos de vitamina D com o desenvolvimento de certas doenças, como as do foro cardíaco, diabetes e hipertensão.

VIDEOS

O Popular Dr. Oz aponta as Vantagens da Vitamina D


O Dr. Oz também conhecido da televisão Portuguesa refere os niveis preocupantes de carência de Vitamina D nos Estados Unidos da América e as vantagens que esta pode trazer.

A Verdadeira História da Vitamina D


Uma reportagem da CBN News sobre os efeitos da Vitamina D e os efeitos benéficos que demonstra ter contras as infecções virais entre outros.

A Vitamina D na Prevenção do Cancro


O Dr. Meschino um dos pioneiros na criação de vídeos educativos sobre medicina na Internet fala sobre a Vitamina D e a sua importância na prevenção do cancro.

Uma extensa compilação de artigos sobre Vitamina D, com link para pubmed ou fontes semelhantes.

Aceda à base científica
Linfoma de Hodgkin

Os linfomas de Hodgkin (ou Doença de Hodgkin) é um cancro dos linfócitos, um dos tipos de glóbulos brancos presentes no sangue. Os sintomas podem incluir febre constante, irritação cutânea, suores nocturnos, perda de peso e um aumento nos nódulos linfáticos.

Sumário para doentes e público em geral

 

Os linfomas de Hodgkin (ou Doença de Hodgkin) é um cancro dos linfócitos, um dos tipos de glóbulos brancos presentes no sangue. Os sintomas podem incluir febre constante, irritação cutânea, suores nocturnos, perda de peso e um aumento nos nódulos linfáticos.

Fatores de risco

O principal factor de risco para o linfoma de Hodgkin é o vírus Epstein-Barr.

É o mesmo vírus que está associado à esclerose múltipla e à mononucleose infecciosa.

Existem evidências fortes de que a vitamina D pode reduzir o risco de esclerose múltipla.

Exposição solar e linfoma de Hodgkin

Numerosos estudos relacionam a radiação UVB com o risco de linfoma de Hodgkin:

  • A taxa de incidência do linfoma de Hodgkin é maior no final do Inverno/ inícios da Primavera. Nesta altura, existe menos luz solar e os níveis de vitamina D estão muito baixos. A luz solar é a principal fonte de UVB e, portanto, de vitamina D.
  • Na Noruega, 15% das pessoas diagnosticadas com a doença de Hodgkin no Verão tiveram taxas de sobrevivência superiores em 36 meses comparativamente com os pacientes diagnosticados no Inverno.
  • Na Suécia, a exposição de UVB antes dos 20 anos mostrou-se relacionada com um risco reduzido de linfoma de Hodgkin.
  • No Canadá, uma maior exposição a radiação UV também mostrou reduzir o risco da doença de Hodgkin.
  • Um estudo realizado nos EUA revelou indicações de que níveis superiores de UVB no Inverno estão associados a um menor risco de doença de Hodgkin. Outro estudo encontrou resultados similares em pacientes expostos a mais radiação UVB num ano.

Vitamina D e linfoma de Hodgkin

A relação da vitamina D ao linfoma de Hodgkin ainda não foi estudada. Contudo, esta doença ocorre principalmente no Inverno, numa maior ausência de luz. Isto indica que os níveis de vitamina D abaixo de 20-30 ng/mL (50-75 nmol/L) podem estar ligados a maior risco desta doença.

Como é que Vitamina D funciona neste caso?

A vitamina D pode reduzir o risco de doença de Hodgkin através de:

- Fortalecimento do sistema imunitário - a vitamina D catalisa a algumas proteínas que reduzem infecções virais.

- Redução do processo inflamatório associado às infecções virais.

Prevenção

Não existem estudos que indiquem que os suplementos de vitamina D possam reduzir o risco deste cancro. Contudo, efeitos positivos da vitamina D face à gripe ou à esclerose múltipla já foram confirmados. Através da manutenção dos níveis de vitamina D acima de 30-40 ng/mL (75-100 nmol/L) o risco da doença de Hodgkin pode ser reduzido. A manutenção destes níveis é especialmente importante no inverno.

Vitamina D e cálcio

Entre 10 e 20% dos pacientes com doença de Hodgkin têm excesso de cálcio no sangue (hipercalcémia). O cálcio é, em parte, regulado pelo calcitriol, a versão ativa da vitamina D. A hipercalcémia é uma condição grave mas curável. Os sintomas incluem falta de apetite, sede e vontade de urinar frequentes, obstipação, náuseas e vómitos. O paciente também poderá queixar-se de dor, especialmente nas costas, perto dos rins. Contracção muscular e fraqueza também são sintomas comuns.

Se esses sintomas ocorrerem é importante parar de imediato a suplementação de vitamina D e consultar um médico. Os níveis de vitamina D reduzem para metade em quatro semanas.

Tratamento

Alguns estudos confirmam que o aumento de vitamina D após o diagnóstico de doença de Hodgkin poderá melhorar os prognósticos. É, contudo, importante monitorizar possíveis efeitos secundários derivados do excesso de cálcio.