Obrigado por contribuir para melhorar o Fórum D!

Deixe a sua sugestão

BENEFÍCIOS DA VITAMINA D

IMPRENSA

A importância da Vitamina D (com video)


O reumatologista e um dos promotores do Fórum D, Dr. Pereira da Silva, esteve na Edição da Manhã para falar da importância da vitamina D, quando se sabe que apesar de vivermos num país onde o sol brilha grande parte do ano, muitos portugueses apresentam défice desta vitamina.

As 4 vitaminas recomendadas por um cardiologista (em inglês)


O mundo das vitaminas e suplementos é confuso. Todas apresentam os seus benefícios para a saúde, mas se tudo fosse verdade iria acabar por tomar centenas de suplementos por dia. Como saber quais é que vale a pena ter atenção? Fique a saber!

Vitamina D aumenta esperança de vida


Estudo norte-americano relaciona níveis demasiado baixos de vitamina D com o desenvolvimento de certas doenças, como as do foro cardíaco, diabetes e hipertensão.

VIDEOS

O Popular Dr. Oz aponta as Vantagens da Vitamina D


O Dr. Oz também conhecido da televisão Portuguesa refere os niveis preocupantes de carência de Vitamina D nos Estados Unidos da América e as vantagens que esta pode trazer.

A Verdadeira História da Vitamina D


Uma reportagem da CBN News sobre os efeitos da Vitamina D e os efeitos benéficos que demonstra ter contras as infecções virais entre outros.

A Vitamina D na Prevenção do Cancro


O Dr. Meschino um dos pioneiros na criação de vídeos educativos sobre medicina na Internet fala sobre a Vitamina D e a sua importância na prevenção do cancro.

Uma extensa compilação de artigos sobre Vitamina D, com link para pubmed ou fontes semelhantes.

Aceda à base científica
Depressão

A depressão é um distúrbio mental em que sentimentos de tristeza profunda persistem durante meses ou anos, sendo na sua génese bem diferentes do sentimento de tristeza que todos sentimos de tempos a tempos.

Sumário para doentes e público em geral

 

A depressão é um distúrbio mental em que sentimentos de tristeza profunda persistem durante meses ou anos, sendo na sua génese bem diferentes do sentimento de tristeza que todos sentimos de tempos a tempos.

As pessoas deprimidas têm má disposição e fraca auto-estima. Perdem o interesse por actividades das quais outrora retiraram prazer e tendem a afastarem-se dos outros, incapazes de se libertar dos sentimentos de desespero e falta de esperança.

 

Fatores de risco

As causas para a depressão ainda não são claras, mas parecem envolver tanto a genética quanto o ambiente e contexto.

Os obesos apresentam um maior risco de depressão

As pessoas diagnosticadas com doenças como o cancro, doenças cardiovasculares ou esclerose múltipla, podem desenvolver depressão.

 

Exposição solar e depressão 

Não existem estudos científicos relacionando a radiação solar UVB com o risco de depressão. No entanto, os sintomas de depressão podem intensificar-se durante o inverno - situação denominada de sazonal.

 

Vitamina D e depressão

Existe um número considerável de ensaios clínicos que mostram existir alguma relação entre os níveis de vitamina D e a depressão. Baixos níveis de vitamina D podem estar associados à depressão mais do que contribuir para o distúrbio em si. Um risco acrescido de depressão pode estar relacionado com outras doenças sensíveis à vitamina D. 

Vários estudos  corroboram estas afirmações:

  • ♣    Na Holanda, idosos residentes em lares, com depressão baixa ou grave tinham níveis de vitamina D 14% mais baixos que do que outros residentes sem depressão.
  • ♣    As mulheres italianas com baixos níveis de vitamina D (menos de 20 ng/mL (50 nmol/L) tinham o dobro da probabilidade de desenvolver depressão. Para os homens, o risco aumentava em 60%.
  • ♣    Mulheres pós-menopausicas com uma fratura vertebral tinham 20% mais sintomas depressivos do que as mulheres sem fratura. As mulheres com pelo menos três fracturas tinham uma taxa de incidência de depressão três vezes superior às mulheres sem fraturas múltiplas. Baixos níveis de vitamina D são um importante factor de risco para as fraturas vertebrais.
  • ♣    Na Siria, mulheres com doença cardíaca, pressão arterial alta ou doença renal tinham uma predisposição 3 vezes superior a desenvolver depressão. Homens com reumatismo e doença respiratória apresentavam um risco de depressão ainda mais elevado. Existe evidência forte de que baixos níveis de vitamina D são um factor de risco para todas estas doenças.

Uma depressão prolongada durante a vida pode ser um factor de risco relevante para o desenvolvimento da doença de Alzheimer. A depressão pode aumentar o risco de défice cognitivo médio que progressivamente se pode tornar em Alzheimer. Estudos indicam que baixos níveis de vitamina D podem também ser um factor de risco para o Alzheimer.

  • ♣    Um estudo realizado nos EUA demonstrou que o défice de vitamina D ocorria mais frequentemente numa certa franja da população. Essa franja representava a população de raça-negra, vivendo em cidades, com obesidade e depressão. As pessoas com níveis de vitamina D abaixo dos 20 ng/mL (50 nmol/L) tinham um risco 85% acrescido de desenvolver depressão quando comparados com as pessoas com níveis elevados, acima dos 30 ng/mL (75 nmol/L).

 

Como é que Vitamina D funciona neste caso?

A vitamina D pode reduzir o risco de depressão ao:

  • ♣    Reduzir o risco de doenças que podem aumentar a predisposição para a depressão, tais como o cancro, doenças cardiovasculares e esclerose múltipla.
  • ♣    Reduzir a produção de citocinas, que são proteínas que aumentam a inflamação e que foram já apontadas como possíveis factores de risco para a depressão.

 

Prevenção

Não existem estudos que mostrem claramente que a vitamina D reduz o risco de depressão. No entanto, tendo em conta a evidência, é possível que a vitamina D possa ter um efeito positivo naqueles que sofrem desta condição.

Com base em ensaios clínicos sobre cancro, doença cardiovascular e gripe, níveis de vitamina D acima dos 40 ng/mL (100 nmol/L) podem reduzir o risco de depressão.

 

Tratamento

De acordo com uma revisão recente, aumentar os níveis de vitamina D em pessoas com valores baixos e com depressão (ou outros distúrbios mentais) pode ser benéfico tanto para a saúde a longo prazo como para a qualidade de vida. Vários relatórios confirmam que a vitamina D teve um efeito positivo na depressão:

  • ♣    Mulheres em Washington, EUA, aumentaram os seus níveis de vitamina D para os 47 ng/mL (118 nmol/L) ao tomar 5000 UI de vitamina D por dia, durante o inverno. Em algumas destas mulheres, os sintomas de depressão diminuíram como atestam os seus resultados num teste de depressão.
  • ♣    Na Noruega, mulheres com excesso de peso ou obesas tomaram 20.000 ou 40.000 UI de vitamina D por semana e os seus sintomas de depressão caíram. Os resultados no teste de depressão também foram mais baixos.
  • ♣    Tendo por base estudos sobre outras doenças, níveis de vitamina D no sangue próximos de 40–50 ng/mL (100–125 nmol/L) parecem reduzir a gravidade da depressão.