Obrigado por contribuir para melhorar o Fórum D!

Deixe a sua sugestão

BENEFÍCIOS DA VITAMINA D

IMPRENSA

A importância da Vitamina D (com video)


O reumatologista e um dos promotores do Fórum D, Dr. Pereira da Silva, esteve na Edição da Manhã para falar da importância da vitamina D, quando se sabe que apesar de vivermos num país onde o sol brilha grande parte do ano, muitos portugueses apresentam défice desta vitamina.

As 4 vitaminas recomendadas por um cardiologista (em inglês)


O mundo das vitaminas e suplementos é confuso. Todas apresentam os seus benefícios para a saúde, mas se tudo fosse verdade iria acabar por tomar centenas de suplementos por dia. Como saber quais é que vale a pena ter atenção? Fique a saber!

Vitamina D aumenta esperança de vida


Estudo norte-americano relaciona níveis demasiado baixos de vitamina D com o desenvolvimento de certas doenças, como as do foro cardíaco, diabetes e hipertensão.

VIDEOS

O Popular Dr. Oz aponta as Vantagens da Vitamina D


O Dr. Oz também conhecido da televisão Portuguesa refere os niveis preocupantes de carência de Vitamina D nos Estados Unidos da América e as vantagens que esta pode trazer.

A Verdadeira História da Vitamina D


Uma reportagem da CBN News sobre os efeitos da Vitamina D e os efeitos benéficos que demonstra ter contras as infecções virais entre outros.

A Vitamina D na Prevenção do Cancro


O Dr. Meschino um dos pioneiros na criação de vídeos educativos sobre medicina na Internet fala sobre a Vitamina D e a sua importância na prevenção do cancro.

Uma extensa compilação de artigos sobre Vitamina D, com link para pubmed ou fontes semelhantes.

Aceda à base científica
Craniotabes

Craniotabes é o nome que se dá ao amolecimento e redução da espessura dos ossos do crânio dos recém-nascidos.

Craniotabes é o nome que se dá ao amolecimento e redução da espessura dos ossos do crânio dos recém-nascidos. 

É normal nos prematuros e dura algumas semanas ou meses. 

Pode ser encontrado em casos de raquitismo, sífilis congénita e hiperparatiroidismo. 

 

Fatores de risco 

A maioria das mães com bebés com craniotabes apresentam níveis baixos de vitamina D durantes a gravidez. Aproximadamente um terço dos recém-nascidos tem esta condição. Isto coincide com o facto de à volta de 1/3 da população americana apresentar valores de vitamina D abaixo dos 20 ng/mL (50 nmol/L).

 

Exposição solar e craniotabes 

A exposição à radiação solar UVB é a fonte primária de vitamina D para a maioria das pessoas. 

Um estudo no japão encontrou uma relação entre a incidência de craniotabes e a estação do ano do parto. A maioria dos bebés nascidos com amolecimento do crânio, nasceram entre abril e maio. Estes são dois meses consecutivos a um inverno fraco em vitamina D. Novembro foi o mês com menor número de bebés nascidos com craniotabes, aproximadamente 2 meses após o verão, onde os níveis de vitamina D são altos. 

 

Vitamina D e craniotabes

Vários estudos encontraram uma relação entre os níveis de vitamina D e o amolecimento dos ossos do crânio:

  • ♣    Na Finlância, nascem mais bebés com craniotabes em mães com níveis baixos de vitamina D.
  • ♣    No reino unido, 10% dos bebés asiáticos que nasceram com níveis baixos de vitamina D tiveram craniotabes, apesar da existência desta condição não se ter refletido na composição mineral do osso, quando comparado com recém-nascidos sem craniotabes.
  • ♣    A Mongólia tem uma alta incidência de craniotabes e de deficiência de vitamina D.

 

Como é que Vitamina D funciona neste caso?

A vitamina D pode ajudar contra o craniotabes através de duas ações:

  • ♣    Aumenta a absorção intestinal de cálcio, seja da alimentação ou de suplementos.
  • ♣    Favorece o metabolismo do cálcio e facilita a sua incorporação nos tecidos duros (ossos e dentes).

No entanto, até que ponto a vitamina D influência o metabolismo do cálcio, não é totalmente claro. Existem muitos estudos em curso neste âmbito.

Prevenção

A melhor maneira de prevenir o craniotabes é garantir níveis adequados de cálcio e proteínas, e elevados de vitamina D durante a gravidez.

Estudos recentes sugerem que as mulheres grávidas precisam à volta de 6000 UI (150 mcg)/dia de vitamina D3 (colecalciferol). Esta é a forma ativa da vitamina D produzida na pele. Os níveis de vitamina D devem estar acima dos 40 ng/mL (100 nmol/L). Nos EUA, dois terços da população tem níveis de vitamina D abaixo das 30 ng/mL (75 nmol/L). 

 

Tratamento

O craniotabes é facilmente tratável com vitamina D. Um estudo sugere 5000 UI (125mcg)/dia é suficiente para os bebés. Estes valores podem ser um pouco altos. Uma dosagem segura anda à volta das 2000 UI (50mcg)/dia. Durante muitos anos, os bebés na Finlândia abaixo de 1 ano de idade recebiam esta dosagem. Algumas vezes, dosagens elevadas de vitamina D podem ser administradas aos bebés. É assumido que as necessidades de cálcio estão a ser preenchidas com a amamentação materna ou leite especial para bebés.