Anafilaxia

Anafilaxia

A anafilaxia consiste numa reacção extrema de alergia, qualquer que seja a sua causa.

Anaphylaxis

A anafilaxia consiste numa reacção extrema de alergia, qualquer que seja a sua causa. Afecta vários sistemas do corpo humano ao mesmo tempo, podendo traduzir-se por

– Pele: comichão, urticária, rubor

– Respiratório: falta de ar

– Gastrointestinal: dores abdominais, diarreia e vómitos

– Cardiovascular: espasmos da artéria coronária e possíveis ataques de coração

– Nervoso: queda da pressão arterial, possível perda de controlo da bexiga e ansiedade

A anafilaxia normalmente ocorre de forma muito rápida e exige tratamento de emergência.

 

Factores de risco

As causas mais comuns para a anafilaxia são:

– alimentos

– veneno de picadas da insectos

– drogas

A exposição frequente a uma alergia aumenta o risco de anafilaxia.

 

Exposição solar e risco de anafilaxia

Existem vários estudos que encontraram uma relação entre alergias extremas, estações de nascimento e vitamina D:

– Um estudo norteamericano de 2004 identificou diferenças regionais nas prescrições de um medicamento antialérgico. O maior número de prescrições de EpiPen provinham do Noroeste do continentes americano e  menor número do Sudoeste. Esta variação pode estar relacionado com a radiação solar UVB durante o verão, bem superior no Sudoeste que no Noroeste.

– Na Austrália, também foi verificada uma diferença acentuada nas prescrições de EpiPen: quanto mais longe do equador, maior número de prescrições. As altas latitudes longe do equador têm menos sol.

– Alguma evidência sugere que a estação do ano da altura do nascimento tem influência nas alergias alimentares.

 

Vitamina D e anafilaxia

Como é que a Vitamina D funciona neste caso?

A vitamina D pode ajudar a contrariar as alergias extremas, porque:

– Reduz a produção de immunoglobulin E (IgE), um tipo de anticorpo que, em niveis elevados, está associado a um risco acrescido de anafilaxia. Enquanto os níveis de vitamina D aumentam do inverno para o verão, os níveis de IgE diminuem.

– Reduz a inflamação: o calcitriol, a versão activa da vitamina D, actua no sistema imunitário e reduz a inflamação quando o corpo está a combater alergias.

 

Prevenção

Na Finlândia, a dieta maternal afectou o risco de desenvolver alergias alimentares em crianças até aos 5 anos de idade. As mães que tomaram mais vitamina D (mesmo que pequenas doses) durante a gravidez tiveram crianças com menos sensibilidade a alergias alimentares.

Admite-se que a vitamina D pode reduzir o risco de alergias alimentares ou anafilaxia quando o bebé ainda se encontra no útero, na infância e mesmo ao longo da vida.

Tratamento

Não existem estudos definitivos que indiquem que a vitamina D pode ser usada no tratamento de alergias ou de anafilaxia, uma vez instaladas. Não parece provável que a vitamina D possa ser interessante para combater a anafilaxia, já que esta é uma condição que requer tratamento de emergência e os efeitos da vitamina D não são de curto prazo.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}