Cancro da vesícula

Cancro da vesícula

Sumário para doentes e público em geral

 

A vesícula biliar é um orgão que se localiza abaixo do fígado. Tem por função armazenar a bílis produzida pelo fígado e excreta-la no estomago para a digestão de gorduras.

É um cancro relativamente raro. Em Portugal registam-se cerca de 120 casos por anos. Nos EUA afecta cerca de 9 000 pessoas e mata cerca de 3 000. As mulheres possuem maior risco de desenvolverem este tumor que os homens.

Fatores de risco

Entre os factores de risco para o desenvolvimento do cancro da vesícula biliar incluem-se:

  • Inflamação crónica – o colesterol pode transformar-se em cálculos biliares. A presença de cálculos provoca inflamação, que está presente em mais de 75% dos doentes de cancro da vesícula. Este é considerado o factor de maior impacto.
  • A dieta rica em carbohidratos e pouca ingestão de vegetais.
  • Infecções repetidas da vesícula.
  • Obesidade.

Exposição solar e cancro da vesícula biliar

No Japão e nos EUA, níveis elevados de raios UVB foram associados com um risco menor de desenvolvimento de cancro da vesícula biliar.

Vitamina D e cancro da vesícula biliar

Não existem estudos que relacionem os níveis de vitamina D e o risco de desenvolvimento de cancro da vesícula biliar.

Como é que Vitamina D funciona neste caso?

De uma forma geral a vitamina D interfere no risco de cancro, porque interfere:

  • Na proliferação celular.
  • Na diferenciação das células.
  • Apoptose (morte celular).
  • Diversos mecanismos celulares centrais para o desenvolvimento do cancro.
  • Crescimento e propagação do tumor.

Prevenção

Não existem estudos específicos que relacionem os níveis de vitamina D e o risco de desenvolvimento de cancro da vesícula biliar. Contudo, estudos da relação da vitamina D com outros tipos de cancro (mamário e coloretal) poderão indicar resultados semelhantes no cancro da vesícula biliar. Níveis de vitamina D superiores a 40 ng/mL (100 nmol/L) podem reduzir o risco de cancro da vesícula biliar em cerca de 30%, quando comparados a níveis inferiores a 20 ng/mL (50 nmol/L).

Tratamento

Não existem estudos que utilizem vitamina D no tratamento de cancro da vesícula biliar. Contudo, alguns estudos compararam pacientes avaliados na altura do diagnóstico do cancro, para seis tipos de cancro distintos. Aqueles que apresentavam níveis superiores de vitamina D (30 ng/mL [75 nmol/L]) reduziram a taxa de mortalidade para metade, comparativamente com pacientes com níveis baixos de vitamina D (20 ng/mL [50 nmol/L]). Deste modo, o aumento dos níveis de vitamina D depois do diagnóstico de cancro da vesícula biliar, podem aumentar as taxas de sobrevivência.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}