Doença pulmonar obstrutiva crónica

Doença pulmonar obstrutiva crónica

Sumário para doentes e público em geral

 

A doença pumonar obstrutiva (DPOC) é uma das doenças pulmonares mais comuns.

Existem essencialmente duas formas de DPOC:

  • ♣    Bronquite crónica – caracteriza-se por tosse com expetoração de longa duração.
  • ♣    Enfizema- representa uma lenta destruição dos pulmões ao longo do tempo.

A maioria das pessoas com DPOC tem uma combinação destas duas situações. Os sintomas incluem tosse com expetoração, falta de ar que se intensifica com o esforço, fadiga, infecções respiratórias e pieira.

Os sintomas podem variar e ficar mais graves em determinados momentos, conhecidos como ataques agudos.

 

Fatores de risco 

Os factores de risco para a DPOC incluem:

  • ♣    Tabagismo.
  • ♣    Gases ou fumos no local de trabalho.
  • ♣    Exposição a fumo passivo  ou extrema poluição do ar.
  • ♣    Cozinhar frequentemente sem ventilação adequada.

 

Exposição solar e DPOC 

Na Finlândia, as pessoas hospitalizadas com DPOC apresentavam uma maior taxa de mortalidade entre dezembro e maio. A incidência de infecções respiratórias também é mais elevada nesta altura.

A radiação ultravioleta e a vitamina D podem reduzir o risco de ataques inerentes à DPOC. Dois estudos identificaram que trabalhadores da agricultura tinham uma incidência mais baixa de ataques de DPOC. No entanto, agricultores no geral têm taxas de DPOC mais elevadas, possivelmente porque se encontram mais expostos a matérias orgânicas e químicas.

 

Vitamina D e DPOC

De acordo com alguns estudos realizados nos EUA, existe uma relação bastante forte entre os níveis de vitamina D e a capacidade torácica (quantidade total de ar inspirado depois de um expirar profundo).

A deficiência de vitamina D ocorre frequentemente nos doentes com DPOC. Tal é demonstrado em vários estudos:

  • ♣    Antigos fumadores na Holanda, com baixos níveis de vitamina D, apresentavam um quadro de DPOC mais grave. A incidência para os indivíduos com níveis abaixo dos 20 ng/ml (50 nmol/l) aumentava em 30% para ex-fumadores com função pulmonar normal e em 75% para aqueles num estado mais avançado de DPOC.
  • ♣    No Japão, num estudo com a duração de 6 anos, os níveis basais de vitamina D não tinham qualquer relação com o declínio da função pulmonar. No entanto, os níveis de vitamina D mudam com o tempo, o que pode ter influenciado os resultados.

 

Como é que Vitamina D funciona neste caso?

A vitamina D pode ajudar a contrariar os ataques de DPOC ao:

  • ♣    Proteger o organismo contra ataques virais e bacterianos, que são frequentemente catalisadores de ataques de DPO.
  • ♣    Reduzir o número de compostos tóxicos aos tecidos, o que inclui o matrix metalloprotease-9 (MMP-9) MM-9, que pode contribuir para a DPO.

 

Prevenção

Não existem dados bustos que mostrem que a vitamina D possa reduzir o risco de DPOC.

Vitamina D e cálcio

Os que doentes com DPOC têm um risco acrescido de desenvolver osteoporose, que a vitamina D ajuda a combater.

Tratamento

Com base na evidência disponível, níveis de vitamina D acima dos 30–40 ng/mL (75-–100 nmol/L) podem reduzir o risco de DPOC. Para atingir esses níveis, a maioria das pessoas necessita de tomar 1000-5000 unidades internacionais (UI) (25–125 mcg) por dia de vitamina D3. Esta é a forma activa de vitamina D, produzida na pele. No entanto, existe uma grande variação de pessoas para pessoa, pelo que para determinar a dosagem ideal, deverá medir os seus níveis de vitamina D antes de iniciar a suplementação ou aumentar a sua exposição solar.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}