Doença vascular periférica

Doença vascular periférica

Sumário para doentes e público em geral

 

A doença vascular periférica (também conhecida como doenças arterial periférica) ocorre quando grandes placas ateromatosas se acumulam nas artérias.

A placa é constituída por gorduras, colesterol, cálcio, tecidos fibrosos e outros substâncias do sangue. Com o passar do tempo, a placa provoca o endurecimento e estreitamento das artérias. Esta condição é denominada de arteroesclerose. Nessas condições as artérias não têm a mesma capacidade de distribuir o sangue nos órgãos ou segmentos do corpo que irrigam. A doença vascular periférica afecta mais comummente os membros inferiores.

 

Fatores de risco

O principal factor de risco para a doença vascular periférica é a diabetes mélitus de tipo 2. Os factores que contribuem para o risco de diabetes tipo 2 incluem dietas fortes em carbohidratos refinados e/ou alimentos com alto teor de gordura, bem como baixos níveis de vitamina D.

 

Exposição solar e risco de doença vascular periférica 

As pessoas de raça negra têm maior incidência de doença vascular periférica que as de raça branca.

É possível que isto se deva a:

  • ♣    Pele mais escura que não permite absorver os raios UVB do sol tão eficazmente como a pele clara. Como consequência, as pessoas de raça negra têm níveis de vitamina D mais baixos que o normal.
  • ♣    Maior incidência de diabetes, talvez devido ao consumo de alimentos ricos em gordura e açúcares.

 

Vitamina e doença vascular periférica 

Vários estudos revelaram que pessoas com níveis baixos de vitamina D têm um risco acrescido de doença vascular periférica:

  • ♣    Num estudo realizado nos EUA, a taxa de doença vascular periférica era de 40% para cada redução de 10 ng/mL (25 nmol/L) nos níveis de vitamina D abaixo dos 30 ng/ml (75 nmol/l).
  • ♣    Num estudo realizado no Utah, EUA, pessoas com baixos níveis de vitamina D apresentaram quase o dobro do risco de desenvolverem doença vascular periférica quando comparados com pessoas com níveis de vitamina D adequados.

 

Como é que Vitamina D funciona neste caso?

O mecanismo de acção é incerto, a vitamina D pode baixar o risco de doença vascular periférica ao reduzir:

  • ♣    A Hipertensão
  • ♣    A inflamação
  • ♣    O endurecimento e crescimento das células dentro das paredes dos vasos sanguíneos
  • ♣    O risco de diabetes tipo 2

 

Prevenção

Existe alguma evidência que demonstra que níveis elevados de vitamina D ajudam a reduzir o risco de doença vascular periférica.

Com base em estudos focados em doenças cardiovasculares e diabetes, os níveis de vitamina D devem ser maiores do que 30–40 ng/mL (> 75–100 nmol/L) para reduzir significativamente o risco de doenças vascular periférica.

Tomar 1000-5000 UI (25–125 mcg)/dia de vitamina D3 (cholecalciferol) aumenta os níveis no sangue até estes valores. É pertinente e relevante notar que cada 1000 UI (25 mcg)/dia de vitamina D aumenta os níveis no sangue em cerca de 6–10 ng/mL (15–25 nmol/L). No entanto, existem variações consideráveis de pessoa para pessoa. São recomendados 3 meses de suplementação. Para determinar a dosagem mais adequada para cada pessoa, os níveis de vitamina D devem ser testados antes e três meses depois do inicio da suplementação ou aumento da exposição solar.

Tretamento

Não são conhecidos estudos que usem vitamina D no tratamento para a doença vascular periférica. No entanto, níveis elevados de vitamina D podem melhorar a severidade da doença.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}