Esclerose Múltipla

Esclerose Múltipla

Sumário para doentes ou público em geral

A esclerose múltipla (EM) é uma doença crónica autoimune do sistema nervoso central. Afecta o cérebro, o nervo óptico e a espinal medula.

A esclerose múltipla (EM) ocorre quando o sistema imunitário ataca tecidos normais do corpo em vez de os proteger. Quando as próprias células imunitárias atacam o sistema nervoso, gera-se um processo inflamatório. Na EM, a inflamação danifica repetidamente o revestimento de mielina que cobre e protege as fibras nervosas. Este dano faz com que os impulsos nervosos abrandem ou cheguem mesmo a ficar interrompidos. Os sintomas de EM variam de indivíduo para indivíduo.

Fatores de risco 

Os factores de risco conhecidos para a EM incluem:

  • ♣    Infecção viral Epstein-Barr – as pessoas com EM têm níveis mais elevados de antigénios ao vírus. Tal pode dever-se a uma resposta imunitária excessivamente activa que ocorre quando os níveis de vitamina D estão em baixa, como no inverno.
  • ♣    Tabagismo – vários estudos demonstraram uma relação entre hábitos tabágicos e a EM, particularmente nas pessoas com níveis altos de antigénios ao vírus Epstein-Barr.

 

Exposição solar e esclerose múltipla 

Vários estudos demonstram que a exposição solar pode limitar a incidência ou gravidade da EM:

  • ♣    A doença ocorre mais frequentemente longe do equador, onde existe menos radiação solar.
  • ♣    Maior exposição solar ao longo da vida está associada a uma redução no risco de EM.
  • ♣    São reportados menos sintomas da doença no verão, quando existe mais luz solar.
  • ♣    A EM ocorre mais frequentemente na primavera, quando os níveis de vitamina D estão em baixa.

 

Vitamina D e esclerose múltipla

Vários estudos observacionais identificaram que baixos níveis de vitamina D estão associados a um aumento no risco de desenvolver EM.

Como é que Vitamina D funciona neste caso?

Ainda não é totalmente conhecido como a vitamina D pode reduzir o risco ou gravidade da EM. No entanto, é provável que a vitamina D impeça a produção citocinas, envolvidas na inflamação. As citocinas são moléculas que ajudam à comunicação entre as células. Assim, a vitamina D pode ajudar a reduzir a inflamação.

No inverno, quando os níveis de vitamina D são baixos, o sistema imunitário pode exagerar na resposta a uma infecção viral por Epstein-Barr. Tal situação pode desencadear o desenvolvimento desta doença autoimune.

 

Prevenção

Existem alguns estudos que demonstram que baixos níveis de vitamina D são um factor de risco para a EM.

Um estudo na Austrália identificou uma redução de 7% no risco de desenvolver EM por cada aumento de 4 ng/mL (10 nmol/L) nos níveis de vitamina D no sangue.

Com base em estudos de infeções virais, os níveis de vitamina D acima dos 40 ng/mL (100 nmol/L) podem ajudar a proteger contra a EM.

Tratamento

Com base em estudos com suplementos de vitamina D, não existe evidência relevante de que a gravidade da EM pode ser afectada pela vitamina D.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}