Pré-eclampsia

Pré-eclampsia

A pré-eclampsia é uma situação clínica de grande gravidade, que pode ocorrer na parte final da gravidez e provocar graves consequências à mãe e à criança.

A pressão arterial aumenta para níveis insuportáveis e várias proteínas são excretadas na urina. O fornecimento de sangue à placenta pode ser afectado provocando sofrimento fetal.

 

Fatores de risco

A causa exacta da pré-eclampsia não é conhecida.

São apontados alguns factores que podem estar associados:

  • Distúrbios autoimunes
  • Problemas cardiovasculares
  • Dieta excessiva em açucares e gorduras polinsaturadas
  • Genéticos
  • Diabetes

 

Exposição solar e pré-eclampsia

Em muitos estudos internacionais verifica-se um risco maior de pré-eclampsia após uma concepção no verão e um parto no inverno. Os níveis de vitamina D são mais baixos no inverno.

 

Vitamina D e pré-eclampsia

Vários estudos identificaram uma relação entre os níveis de vitamina D e a pré-eclampsia:

  • Num estudo americano, as mulheres com níveis de vitamina D abaixo dos 20 ng/mL (50 nmol/L) era duas a quarto vezes mais propensas a desenvolver pré-eclampsia do que as mulheres com níveis adequados.
  • Os recém nascidos de mães com pré-eclampsia tinham duas vezes mais probabilidade de ter níveis de vitamina D abaixo dos 15 ng/mL (37.5 nmol/L).
  • Na Carolina do Sul, EUA, as mulheres com pré-eclampsia grave tinham níveis de vitamina D mais baixos que as mulheres saudáveis.

 

Como é que Vitamina D funciona neste caso?

A vitamina D pode ajudar a reduzir o risco de pré-eclampsia pelas seguintes acções:

  • Aumenta o nível de hormona do crescimento no sangue fetal.
  • Diminui a pressão arterial.

 

Prevenção e tratamento

Existem alguns estudos sobre o uso de vitamina D na prevenção de pré-eclampsia:

  • Num dos estudos as mulheres que, às 20 semanas de gestação, tomaram 900 UI [23 mcg] por dia de vitamina D tiveram reduziram o risco de pré-eclampsia em 32%. Estas mulheres também tomaram outras vitaminas, sais minerais e óleo de peixe.
  • Noutro estudo realizado na Finlandês, as crianças do sexo feminino que receberam 2000 UI por dia de vitamina D durante os primeiros anos de vida. Anos mais tarde, estas mulheres apresentavam metade do risco de desenvolver pre-eclampsia. A vitamina D pode ter melhorado o seu sistema imunitário.

Note-se que em nenhuma das mulheres grávidas que tomaram doses elevadas de vitamina D3 [6400 UI – 160 mcg por dia], houve acumulação excessiva de cálcio no sangue ou na urina.

A vitamina D pode ser bastante benéfica para mulheres com pré-eclampsia. Doses elevados de vitamina D3 (50,000 UI [1250 mcg]/dia) irão fazer subir mais rapidamente os níveis plasmáticos para valores óptimos que doses diárias da ordem das 6000 UI.

É importante que as grávidas discutam a suplementação de vitamina D com o seu médico. No entanto, nem todos os médicos estão informados das novidades científicas mais recentes sobre esta matéria.

 

Vitamina D associada ao cálcio

De acordo com um estudo, as mulheres que tomaram vitamina D (1200 UI [30 mcg]/dia) mais cálcio (375 mg/dia), às 20-24 semanas de gestação, tinham uma pressão arterial significativamente inferior às mulheres que apenas tinham tomado placebo.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}