Sepsis e septicémia

Sepsis e septicémia

A sepsis consiste numa infecção bacteriana que se torna generalizada através do sangue. A maior parte começa nos pulmões. É uma doença muito grave que conduz muitas vezes à morte.

Factores de risco

Existem alguns factores de risco associados com a sepsis:

– Hospitalização e cirurgia: as infecções bacterianas propagam-se mais facilmente num ambiente hospitalar. A cirurgia permite um contacto directo da bactéria com o sangue.

– Infecções respiratórias e tabagismo: ambas as situações danificam o revestimento dos pulmões, o que facilita o contacto da bactéria com o sangue.

 

A doença tende a ser mais grave em quem seja:

– Obeso ou fumador

– Prematuro ou bebés que nasceram abaixo do peso, pois possuem sistemas imunitários mais fracos e menos desenvolvidos.

 

Exposição solar e risco de sepsis

Existe bastante evidência de que a radiação solar UVB pode reduzir o risco de sepsis:

– As taxas de incidência de sepsis são mais elevadas no inverno/primavera e mais baixas no verão/outono.

– Americanos de raça negra apresentam taxas de hospitalização por sepsis superiores aos americanos caucasianos. (Em geral, as pessoas de raça negra têm níveis mais reduzidos de vitamina D).

As pessoas com cancro ou outras doenças associadas a níveis baixos de vitamina D têm taxas mais elevadas de sepsis.

 

Vitamina D e sepsis

No hospital da Universidade de Emory, em Atlanta, EUA, os pacientes com sepsis ou internados nos cuidados intensivos tinham níveis de vitamina D mais baixos que o grupo de controlo. Os níveis de catelicidina, uma proteína que ajuda ao combate das infecções, eram substancialmente mais baixos do que os de controlo.

Num outro estudo americano, os pacientes internados na unidade de cuidados intensivos apresentavam níveis de vitamina D semelhantes ao grupo de controlo. Contudo, os que apresentavam níveis mais baixos de vitamina D tiveram um pior desfecho: 53% dos que faleceram na UCI ou pouco tempo depois tinham valores de vitamina D abaixo dos 20 ng/ml (50 nmol/l) quando comparados com 28% dos que sobreviveram.

 

Como é que a Vitamina D funciona neste caso?

A vitamina D ajuda a combater as infecções bacterianas ao accionar a produção de proteínas denominadas de catelicidina e defensinas. Estas podem ser consideradas moléculas antisepticas.

 

Prevenção

Não existem estudos que mostrem que níveis elevados de vitamina D reduzam o risco de sepsis. No entanto, a vitamina D reduz o risco de outras doenças bacterianas. Assim, é provável que níveis elevados de vitamina D, (superiores a 40 ng/mL [100 nmol/L]), reduzam o risco de sepsis.

As pessoas que saibam que irão ficar internadas num hospital deviam considerar aumentar os seus níveis de vitamina D para próximo destes valores. Tomar 10,000–50,000 unidades internacionais (UI) (250-1250 mcg)/dia de vitamina D durante alguns dias eleva rapidamente os níveis de vitamina D no sangue. No seguimento, pode reduzir a toma diária para 1000-5000 UI (25-125 mcg)/dia. Seria importante testar os níveis de vitamina D antes de dar entrada no hospital.

Tratamento

Não existem ensaios clínicos relativos ao uso de vitamina D como tratamento para a sepsis. No entanto, demora 1-2 dias para o corpo iniciar a produção de catelicidina após a recepção de vitamina D, seja através de suplementos ou exposição solar. Assim, a vitamina D pode funcionar como um complemento interessante para o tratamento da sepsis, juntamente com antibióticos.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}