Suplementação com Vitamina D durante a gravidez sem efeito no crescimento da criança durante o 1º ano de vida

Suplementação com Vitamina D durante a gravidez sem efeito no crescimento da criança durante o 1º ano de vida

Vitamin D Supplementation in Pregnancy and Lactation and Infant Growth

D.E. Roth, S.K. Morris, S. Zlotkin, A.D. Gernand, T. Ahmed, S.S. Shanta, E. Papp, J. Korsiak, J. Shi, M.M. Islam, I. Jahan, F.K. Keya, A.R. Willan, R. Weksberg, M. Mohsin, Q.S. Rahman, P.S. Shah, K.E. Murphy, J. Stimec, L.G. Pell, H. Qamar, and A. Al Mahmud

N Engl J Med 2018;379:535-46. DOI: 10.1056/NEJMoa1800927

Tradução (Forum D) do Resumo/Abstract:

CONTEXTO: Não está claro até que ponto a suplementação com Vitamina D durante a gravidez e lactação melhora o crescimento fetal e do lactente em regiões onde a deficiência de Vitamina D é comum.

MATERIAL E MÉTODOS: Realizámos um ensaio randomizado, controlado, duplamente cego no Bangladesh com o objetivo de avaliar os efeitos de suplementação com Vitamina D semanal na fase pré-natal (das 17 às 24 semanas de gestação até ao parto) e da suplementação pós-parto no z-score do comprimento para a idade ao ano de vida, de acordo com as curvas da Organização Mundial de Saúde (outcome primário).

Um dos grupos não recebeu qualquer suplementação com Vitamina D nem na fase pré-natal nem na fase pós-parto (grupo placebo). Três outros grupos receberam 1) 4200 UI de Vitamina D (grupo pré-natal 4200); 2) 16800 UI (grupo pré-natal 16800) e 3) 28000 UI (grupo pré-natal 28000). Um outro grupo recebeu suplementação com Vitamina D quer na fase pré-natal quer nas 26 semanas pós-parto, num total de 28000UI (pré-natal e pós-parto 28000)

RESULTADOS:  Dos 1164 lactentes avaliados ao 1º ano (89,5% de 1300 gestações), não se observou diferença estatisticamente significativa na média do z score do comprimento ao ano de vida, de acordo com as curvas da Organização Mundial de Saúde entre os vários grupos. Os scores foram os seguintes: placebo, −0.93±1.05; pré-natal 4200, −1.11±1.12; pré-natal 16,800, −0.97±0.97; pré-natal 28,000, −1.06±1.07; e pré-natal e pós-parto 28,000, −0.94±1.00 (P = 0.23). Outras medidas antropométricas, eventos (outcomes) ao nascimento e morbilidade não apresentaram diferenças entre grupos. A suplementação com Vitamina teve os resultados esperados nas concentrações de 25-hidroxivitamina D e cálcio, excreção urinária de cálcio materna e concentrações de paratormona materna. Não se verificou diferenças entre grupos relativamente à ocorrência de eventos adversos, à exceção de uma maior taxa de hipercalcemia entre as mulheres que receberam a dose mais elevada.

CONCLUSÕES: Numa população com deficiência de vitamina D pré-natal generalizada e restrições no crescimento fetal e da criança, a suplementação com vitamina D desde o meio da gestação até ao parto ou até 6 meses após o parto não melhorou o crescimento fetal ou da criança no primeiro ano de vida.

Comentários a este artigo:

N Engl J Med. 2018 Nov 8;379(19):1880-1. doi: 10.1056/NEJMc1812157.

Vitamin D Supplementation in Pregnancy and Lactation and Infant Growth.

Hewison MWagner CLHollis BW.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}