Vaginose Bacteriana

Vaginose Bacteriana

A Vaginose Bacteriana (VB) é uma perturbação do ambiente microbiano da vagina. Há substituição dos Lactobacilos, que são indispensáveis ao equilíbrio do meio vaginal, por bactérias anaeróbias. Pode ser assintomática, mas na maior parte dos casos as mulheres referem corrimento e odor desagradável.

Factores de risco

O risco de VB envolve uma relação complexa entre vários factores:

  1.     Composição microbiana da vagina – o equilíbrio entre bacilos, bactérias, fungos e outros agentes é fundamental e instável.
  2.     Ambiente hormonal – as influências hormonais a que a mulher está sujeita (pílula, gravidez, menopausa, etc.) modifica o meio vaginal.
  3.     Higiene genital – os produtos e a forma como se usam podem interferir na saúde genital.
  4.     Resposta imunitária – a integridade da resposta imunitária celular ou geral desempenha um papel fundamental no equilíbrio do meio vaginal.

 

Exposição solar e Vaginose Bacteriana

Não existem estudos que relacionem directamente a exposição solar com o risco de VB.

 

Vitamina D e Vaginose Bacteriana

Existem dois estudos que sugerem uma relação entre os níveis de vitamina D e a incidência de VB:

– Num estudo publicado em 2007, foi verificado que as mulheres americanas de raça negra com níveis mais elevados de vitamina D apresentavam um risco reduzido de VB. Não foi identificada nenhuma relação em mulheres caucasianas.

– Noutro estudo realizado também nos EUA foram avaliadas mulheres grávidas, tendo-se constatado que a baixos níveis de vitamina D corresponderam a risco mais elevado de VB.

 

Possíveis mecanismos de acção da vitamina D

A vitamina D promove à produção de cathelicidin e defensins. Estas proteínas desempenham um papel na protecção contra infecções bacterianas e neutralizar algumas toxinas produzidas pelas bactérias. De acordo com vários estudos, existem concentrações elevadas de defensins nos fluidos vaginais durante a VB.

Prevenção

Não existem estudos que avaliem o papel da vitamina D na prevenção da VB. Conhece-se que a vitamina D reduz o risco de algumas infecções virais. É provável que os níveis de vitamina D acima dos 30–40 ng/mL possa reduzir significativamente o risco de VB, particularmente durante a gravidez.

Tratamento

A vitamina D pode ser útil nas mulheres com VB, especialmente quando associada aos antibióticos. Níveis óptimos de vitamina D podem ajudar a prevenir as recorrências.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}