Obrigado por contribuir para melhorar o Fórum D!

Deixe a sua sugestão

IMPRENSA

A importância da Vitamina D (com video)


O reumatologista e um dos promotores do Fórum D, Dr. Pereira da Silva, esteve na Edição da Manhã para falar da importância da vitamina D, quando se sabe que apesar de vivermos num país onde o sol brilha grande parte do ano, muitos portugueses apresentam défice desta vitamina.

As 4 vitaminas recomendadas por um cardiologista (em inglês)


O mundo das vitaminas e suplementos é confuso. Todas apresentam os seus benefícios para a saúde, mas se tudo fosse verdade iria acabar por tomar centenas de suplementos por dia. Como saber quais é que vale a pena ter atenção? Fique a saber!

Vitamina D aumenta esperança de vida


Estudo norte-americano relaciona níveis demasiado baixos de vitamina D com o desenvolvimento de certas doenças, como as do foro cardíaco, diabetes e hipertensão.

VIDEOS

O Popular Dr. Oz aponta as Vantagens da Vitamina D


O Dr. Oz também conhecido da televisão Portuguesa refere os niveis preocupantes de carência de Vitamina D nos Estados Unidos da América e as vantagens que esta pode trazer.

A Verdadeira História da Vitamina D


Uma reportagem da CBN News sobre os efeitos da Vitamina D e os efeitos benéficos que demonstra ter contras as infecções virais entre outros.

A Vitamina D na Prevenção do Cancro


O Dr. Meschino um dos pioneiros na criação de vídeos educativos sobre medicina na Internet fala sobre a Vitamina D e a sua importância na prevenção do cancro.

Uma extensa compilação de artigos sobre Vitamina D, com link para pubmed ou fontes semelhantes.

Aceda à base científica
Suplementação de vitamina D durante a gravidez

Publicado 07 de Março de 2016

Revisão Sistematizada da Cochrane Database - um resumo do Dr. Daniel Pereira da Silva

A suplementação com vitamina D durante a gravidez tem sido recomendada por alguns autores, assumindo que a sua deficiência ou a insuficiência seja comum nas grávidas e que essa circunstância seja factor condicionante de desfechos gestacionais adversos. Foi realizada uma revisão da Cochrane com o objetivo de avaliar se a suplementação oral de vitamina D, isolada ou combinada com cálcio, ou com outras vitaminas e minerais, em mulheres durante a gravidez, pode melhorar os desfechos maternos e neonatais de forma segura.

Metodologia

Foram revistos os ensaios clínicos com randomização individual ou por cluster (conglomerados), que avaliaram os efeitos da suplementação com vitamina D isolada ou em conjunto com outros micronutrients, em mulheres grávidas.

Foram incluídos 15 ensaios clínicos, que envolveram um total de 2.833 mulheres. A suplementação de vitamina D isolada versus não suplementação foi avaliada em 9 estudos e 6 compararam os efeitos da suplementação combinada de vitamina D e cálcio versus a não suplementação. A maioria dos estudos tinha um risco não avaliável de enviezamento e outros tinham risco elevado de viés pela metodologia de dupla ocultação e taxa de perdas.

Resultados

Vitamina D isolada versus nenhuma suplementação/placebo

Os resultados de 7 estudos, que envolveram 868 mulheres revelaram, de forma consistente, que as mulheres que receberam suplementos isolados de vitamina D, em especial as que tomaram a vitamina D diariamente, tinham níveis de 25-hidroxivitamina D mais elevados do que aquelas que receberam placebo ou nenhuma intervenção, mas essa resposta foi altamente irregular. De acordo com 2 estudos com 219 mulheres, a taxa de pré-eclâmpsia foi menor no grupo que fez vitamina D com vitamina D do que nos grupos sem suplementos ou placebo (8,9% contra 15,5%; RR 0,52; IC 95% 0,25-1,05, evidência baixa).

Em 2 estudos que incluiram 219 mulheres o risco de diabetes gestacional foi semelhante no grupo suplementado comparado ao grupo sem intervenção ou placebo (RR 0,43; IC95% 0,05-3,45, evidência muito baixa). Não foram detectadas diferenças claras na taxa de efeitos adversos.

No que respeita aos resultados referentes aos recém-nascidos, os dados de 3 estudos que incluiram 477 mulheres sugerem que a suplementação de vitamina D durante a gravidez reduz o risco de parto prematuro em comparação com a não intervenção ou o placebo (8,9% versus 15,5%; RR 0,36; IC95% 0,14-0,93, evidência moderada).

Os dados de 3 estudos com 493 grávidas também sugerem que o grupo suplementado com vitamina D teve menor probabilidade de ter bebés com peso abaixo de 2.500g do que os grupos que recebiam placebo ou nenhuma suplementação (RR 0,40; IC95% 0,24-0,67, evidência de qualidade moderada).

Quanto aos outros desfechos, não houve diferenças claras nas taxas de cesarianas em 2 estudos com 312 mulheres (RR 0,95; IC95% 0,69-1,31); morte fetal (RR 0,35, IC95% 0,06-1,99) em 3 estudos com 540 mulheres; ou morte neonatal (RR 0,27; IC95% 0,04-1,67) em 2 estudos com 282 mulheres. Encontrou-se uma pequena indicação de que a suplementação de vitamina D aumenta o comprimento dos recém-nascidos (diferença media de 0,70 cm, IC95% 0,02-1,43) em 4 estudos com 638 bebés, bem como o perímetro cefálico ao nascimento (diferença media de 0,43 cm, IC95% 0,03-0,83) em 4 estudos com 638 mulheres.

Vitamina D e cálcio versus nenhuma suplementação/placebo

As mulheres que receberam vitamina D com cálcio tiveram menor risco de pré-eclâmpsia do que aquelas que não receberam qualquer intervenção (RR 0,51; IC95% 0,32-0,80, evidência moderada) em 3 estudos com 1.114 mulheres, mas também tiveram aumento no risco de parto prematuro (RR 1,57; IC95% 1,02-2,43, evidência moderada) em 3 estudos com 798 mulheres.

A concentração sérica de vitamina D materna no termo da gestação, bem como as taxas de diabetes gestacional, de efeitos adversos e de baixo peso ao nascer, foram relatadas apenas num estudo.

Conclusão

Os estudos avaliados forneceram mais evidências sobre os efeitos da suplementação de vitamina D isolada ou associada ao calico, nos resultados da gravidez.

Fazer suplementação de vitamina D à grávida em dose única ou dose contínua aumenta os níveis séricos de 25-hidroxivitamina D e pode reduzir o risco de pré-eclâmpsia, baixo peso ao nascer e parto prematuro. No entanto, quando a vitamina D e o cálcio são combinados, o risco de parto prematuro parece aumentar.

O significado clínico do aumento da concentração sérica de vitamina D ainda não está definido. Os resultados precisam ser interpretados com cautela, salientando-se que em todos os estudos, faltaram dados sobre os efeitos adversos.

Com base nas evidências atuais, ainda não fica claro se a suplementação com vitamina D deve fazer parte da rotina de cuidados pré-natais para todas as mulheres com o objetivo de melhorar os resultados maternos e perinatais, mas há indícios de que a suplementação pode reduzir o risco de pré-eclâmpsia e aumentar o comprimento do recém-nascido e o perímetro cefálico.

São necessários ensaios clínicos conduzidos com o indispensável rigor metodológico para confirmar esses efeitos.

 

Referências:

Vitamin D supplementation during pregnancy: Updated meta-analysis on maternal outcomes.

Palacios C, De-Regil LM, Lombardo LK, Peña-Rosas JP.

J Steroid Biochem Mol Biol. 2016 Feb 11. pii: S0960-0760(16)30025-5. doi: 10.1016/j.jsbmb.2016.02.008.

 

Revisão elaborada pelo Dr. Daniel Pereira da Silva, antigo director do serviço de Ginecologia do IPO de Coimbra e actualmente Presidente da Direção da Federação das Sociedades Portuguesas de Obstetrícia e Ginecologia desde 2015 e Scientific Advisor de Ginecologia para o Fórum D.