Deficiência de Vitamina D em crianças admitidas em Unidade de cuidados intensivos, por choque séptico, associada a pior prognóstico

Deficiência de Vitamina D em crianças admitidas em Unidade de cuidados intensivos, por choque séptico, associada a pior prognóstico

Além do seu papel no metabolismo do cálcio, outras funções biológicas têm sido reconhecidas à vitamina D nomeadamente o seu papel na resposta imune, controlo e diferenciação celular e apoptose.

Desta forma, têm sido discutidas as potenciais implicações clínicas da deficiência de vitamina D em estados de desregulação imunitária como a sépsis.

Com o objetivo de avaliar o papel da deficiência de Vitamina D no momento de admissão numa unidade de cuidados intensivos de crianças com choque sético, Sankar e colaboradores realizaram um estudo prospetivo incluído crianças (≤17 anos).

Os autores verificaram que, no momento de admissão, a deficiência severa de vitamina D era frequente, afetando dois terços das crianças. A deficiência de Vitamina D esteve neste estudo associada a um risco 12 vezes superior de não-resolução do choque às 24h (odds ratio (95% CI): 12 (2.01-87.01)).

Ensaios clínicos com suplementação de vitamina D serão necessários para determinar o potencial beneficio de administrar Vitamina D nestas situações clínicas.

 

Fonte:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28335672

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}