Mulheres grávidas podem beneficiar de doses personalizadas para suplementação com Vitamina D

Mulheres grávidas podem beneficiar de doses personalizadas para suplementação com Vitamina D

As mulheres grávidas respondem de forma diferente à suplementação de vitamina D, dependendo das suas características individuais, segundo um novo estudo da Universidade de Southampton.

Os investigadores referem que os resultados, publicados no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, mostram que a suplementação com vitamina D deve ser adaptada de acordo com os fatores de risco de cada indivíduo.

A evidência sugere que a carência de vitamina D durante a gravidez pode prejudicar a saúde materna, o desenvolvimento fetal e a saúde músculo-esquelética a longo prazo da criança.

O Professor Nicholas Harvey, da Lifecourse Epidemiology Unit do Conselho de Investigação Médica da Universidade de Southampton, que conduziu o estudo, comenta: “É importante para as mulheres grávidas a ter níveis suficientes de vitamina D para a saúde do seu bebé. As nossas descobertas sugerem que, a fim de otimizar as concentrações de vitamina D durante a gravidez, a dose de suplementação a dar pode ter de ser adaptada às circunstâncias individuais de uma mulher, como a estação do ano prevista para o parto.”

Os investigadores descobriram que as mulheres que deram à luz no verão, que ganharam menos peso durante a gravidez e que tinham níveis mais elevados de vitamina D no início da gravidez tendem a ter níveis mais elevados de vitamina D no sangue.

A análise demonstrou ainda que os participantes que receberam o suplemento de vitamina D alcançaram diferentes níveis de vitamina D no sangue, mesmo tendo recebido a mesma dose.

Maternal Vitamin D Osteoporosis Study (MAVIDOS), é um estudo multicêntrico, duplamente-cego, randomizado e controlado por placebo para testar a suplementação de vitamina D durante a gravidez.

Mais de 800 mulheres grávidas foram recrutadas e randomizadas para tomar 1000 UIs (25 microgramas) de vitamina D por dia ou uma cápsula de placebo, desde a 14ª semana de gestação até o nascimento do bebé.

Fontes

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27788053

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://forumd.org/forumd/wp-content/uploads/2018/06/Background-2000x800.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 240px;}